terça-feira, 1 de dezembro de 2009

poema Mário de Sá-Carneiro "dispersão"

Não sinto o espaço que encerro
Nem as linhas que projecto
se me olho a um espelho, erro
Não me acho no que projecto

Sem comentários: